Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

H URB Imobiliária - Blogue

Todas as informações sobre o mercado imobiliário e sobre a H URB num só local.

H URB Imobiliária - Blogue

Todas as informações sobre o mercado imobiliário e sobre a H URB num só local.

23
Out15

Imóveis eficientes têm redução de IMI

photo-1420207452976-ae61088134b7[1]

Os prédios urbanos com eficiência energética podem ter um benefício fiscal com a redução até 15% da taxa de IMI, avança o Expresso.

Este benefício é aplicado a prédios em que tenha sido atribuída uma eficiência energética de classe "A" ou "A+", sendo que a prova é feita através da emissão de um certificado SCE (Sistema de Certificação Energética dos Edifícios), bem como quando existe um aproveitamento das águas residuais tratadas ou pluviais.

Os prédios que tenham sofrido obras de recontrução, alteração ou outras, e a sua eficiência energética tenha aumentado duas classes em relação à anterior certificação, são considerados para este benefício.

No entanto, existem condicionantes: o benefício não é para todo o país pois está dependente da aprovação da Assembleia Municipal da área do prédio em questão. Após essa aprovação, basta que o sujeito passivo faça um requerimento à Autoridade Tributária e Aduaneira. Após a aprovação por parte dessa entidade, este benefício produzirá efeitos a partir de 2016 e terá duração de cinco anos. 

14
Out15

Última prestação do IMI chega este mês

unsplash_52c17aa12e4bc_1.jpg

 

A última prestação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) chega à casa dos portugueses este mês e é para pagar até novembro. 

Segundo o site Casa SAPO, é disponibilizado aos contribuintes o pagamento do IMIpor prestações que variam consoante o valor que os contribuintes tenham de pagar. Se o valor for inferior a €250, o contribuinte só tem até abril para efetuar o pagamento; se variar entre os €250 e os €500, o imposto pode ser dividido em duas prestações a serem pagas em abril e novembro; se for superior a €500, o contribuinte passa a dispôr de três prestações a serem pagas em abril, julho e novembro. 

Este ano, os contribuintes viram o valor a pagar aumentar significativamente depois de, entre 2012 e 2013, mais de cinco milhões de imóveis terem sido reavaliados. 

A lei prevê a cobrança de coima e juros de mora, caso o prazo de pagamento seja ultrapassado. Os valores da coima podem variar entre os 15% e os 50% do valor em dívida. Já os juros de mora obdecem a uma taxa que, este ano, está fixada nos 5,476%. 

 

09
Out15

Concessão de crédito habitação aumentou até julho

Alan Cleaver [CC BY 2.0]

O setor bancário voltou a apostar no crédito à habitação e isso reflete o crescimento na venda de casas em Portugal. 

Segundo dados do Banco de Portugal (BdP), citados pelo Casa SAPO, indicam que a banca concedeu, no total, 2 065 milhões de euros em empréstimos para a compra de casa até julho, um valor que representa um crescimento de 63% face aos valores do mesmo período do ano passado. 

A redução dos "spreads" é um dos principais indicios da maior flexibilização da banca dos critérios para a disponibilização de financiamento. 

A melhoria económica e uma menor restritividade dos bancos leva a que as famílias procurem financimento para a compra de casa, algo que o mercado estima que se mantenha neste trimestre. 

Conheça o novo website da H URB em www.h-urb.com.

Somos Sociais

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga-nos no Facebook